Onde ir – Arte na Oscar freire

A rua Oscar Freire é conhecida por ser um shopping a céu aberto de grandes marcas. 

Apesar da rua ser famosa pelo luxo ou pela moda, ela pode ser um bom passeio artístico.

Morava lá perto e numa das andanças pelo bairro descobri um roteiro de galerias de arte, todas na mesma rua.

Vale a pena fugir das compras e se inspirar em obras contemporâneas. 

Vou sugerir algumas galerias, mas entre uma e outra há sempre alguma novidade, alguma casinha, alguma vilazinha com algo interessante que vale parar pra ver.

A numeração da rua é de trás pra frente, no sentido contrário do carro. Ótimo, vá de metrô ou largue seu carro na Alameda Casa Branca e faça o percurso a pé. 

Oscar Quarente8

Rua Oscar Freire, 48

A galeria fica no “Espaço 48” que abriga a loja da marca Fernanda Shammas, um café e essa galeria de arte contemporânea focada no graffiti e Street Art.

482

fernandashammas.com.br

Urban Arts Oscar Freire

Rua Oscar Freire, 156

Esse endereço é o da primeira loja física aberta da Urban Arts em 2011. O projeto surgiu com o objetivo de descobrir artistas e os deixar visíveis, com a chance de expor e vender seus trabalhos. O que se encontra essencialmente na galeria são trabalhos digitais de artistas, designers e ilustradores de todo o mundo. 

urbanarts.com.br

Galeria Sylvio Nery

Rua Oscar Freire, 164 

Artistas modernos, concretos e neo-concretos da década de 50, como Willys de Castro, Hércules Barsotti, Luiz Sacilotto e Judith Lauand estão entre os destaques do espaço que leva o nome do marchand idealizador. 

105_sylvio-nery-624x352foto: Leonardo Finotti

snerygaleria.com.br

Bergamin Gomide  

Rua Oscar Freire, 379 LJ 1 

A galeria especializada em vendas privadas objetiva comercializar obras de artistas brasileiros e estrangeiros, com foco no período pós-guerra.

Galeria Superficie

Rua Oscar Freire, 240

É uma saleta, convidativa pelas portas de vidro.

A Galeria além de expor artistas que eles trabalham e desenvolvem plano de carreira, também possui um cuidadoso acervo de Arte Contemporânea, com obras de artistas como Mira Schendel, Leonilson, Tunga, entre outros.

galeriasuper

galeriasuperficie.com

Galeria Romero Britto

Rua Oscar Freire, 562 

Sim, tem o polêmico Romero Britto sim na minha lista. Porque além estar na rua da qual vos falo, vale a pena conhecer suas obras e descobrir o porque dele ser tão famoso, tão vendido e tão questionado.

romero-britto-loja-1

britto.com

Espero que tenha gostado! Me conte como foi o passeio 🙂

(Todas as fotos não creditadas são de divulgação)

Segunda Inspirada – Pontos de vista

Por causa do feriado, a segunda dessa semana caiu na terça, mas nem por isso estamos sem uma segunda inspirada!

Hoje a inspiração é: Pontos de vista.

Normalmente quando falamos de um assunto, só um lado da moeda acaba sendo retratado.

No facebook quase todo mundo vive cego para defender algo.

Todas as informações divulgadas são sempre escolhidas a dedo para defender uma ideia e para quebrar com essa praxe o escritor Renato Zapata e eu acabamos de criar um instagram que mostra duas visões sobre uma mesma visão. Claro que também escolhemos as fotos, mas uma para trazer uma nova ideia sobre a outra. Na verdade, é uma grande brincadeira com um objetivo legal para a gente.

Ele se chama /onlymoonfilter porque todas as fotos se equilibram esteticamente com o nosso filtro favorito: moon.

Captura de Tela 2015-09-08 às 11.48.42

E mantendo o lance do insta ser uma diversão para nós, temos até um mascote que vai aparecer de vez em quando, o Moonckey.

Captura de Tela 2015-09-08 às 11.44.27

Espero que essa semana comece com a reflexão sobre o contra ponto de qualquer julgamento.

Uma pessoa pode parecer má de um lado, mas se você enxergar o todo vê que era só um preconceito bobo ou que pelo menos alguma razão ela teve para agir de tal maneira.

Uma criança pode parecer solitária.

Captura de Tela 2015-09-08 às 11.47.22

Mas estar rodeada da família.

Captura de Tela 2015-09-08 às 11.47.33

Vamos tentar observar as coisas fora da caixa. E tentar compreender as ações de pessoas como se não fossem fatos isolados, porque não são. Tudo tem um outro lado. E eu não quero esquecer disso.  Se também quiser se lembrar, nos segue lá: instagram.com/onlymoonfilter 

 

Onde ir: Masp toda terça

Depois que assisti ao filme do Hitchcock “Um corpo que cai” encafifei em ter um museu para chamar de meu.

A personagem do filme tem em sua obra preferida mais que um objeto a admirar, tem um lugar de reconforto, um espaço único de prazer sensorial e acalanto.
Eu queria isso. Eu consegui isso no Masp.
Ele é gratuito todas as terças, é muito bem localizado e tem obras maravilhosas.

Confesso, esse post é mais uma forma de eu resgatar o hábito que me foi um pouco esquecido, mas serve também para convidar você a fazer o mesmo.

Escrever sugestões do que fazer no museu parece um pouco idiota, talvez porque seja de fato, mas vou fazê-lo mesmo assim.

– Leve papel, caneta, lápis de cor, grafite, o que mexer com sua cachola, e pinte!
No Louvre presenciei a cena de crianças tendo aula de artes dentro do museu (que privilégio) e o que elas tinham que fazer era recriar obras que viam. Tão inspirador, tive que copiar.

– Leve papel, caneta, etc, e escreva! Algumas obras nos transmitem sensações tão incríveis que fazem a gente compreender finalmente a vida. Então, escreva porque além de solidificar a ideia, ainda gera mais algumas!

– Em vez de fotografar a obra, registre o nome dela e depois procure no google. Algumas exposições proíbem fotos, mas mesmo as que não forem, sua foto não vai retratar a real beleza da obra e existem certamente fotos oficiais bem melhores que a sua.

– Sente-se, se acalme, esqueça o mundo e dedique alguns minutos para um único quadro e perceba que além da imagem inicial existem diversas camadas de compreensão. Pode ser que o artista nem tenha pensado em nada daquilo que você achar, mas a graça não é acertar o pensamento do pintor e sim você interpretar e criar em cima dele.

Fique sozinho. É gostoso ir acompanhado, no entendo respeite o seu tempo e dedique o quanto precisar para um único quadro, o que mexe com você pode não mexer comigo e não vale a pena entrar no meu ritmo de observação. Então, entrem juntos e saiam juntos, mas lá dentro liberdade total.

Ao sair do Masp, é muito gostoso ir ao Parque Trianon, absorver tudo que viu, sentiu, numa meditação ou desenhar mais. É com você!

Quando você voltar, já terá seu quadro preferido ou então ele não mexerá mais com você e outro que passou desapercebido ganha destaque.

Divirta-se!

Segunda Inspirada – Vovó

A inspiração de hoje é minha avó. vo5 Mas todo mundo tem uma vovó amada, idolatrada, salve salve, o que será que a minha tem de diferente?

Ela tem 100 anos.

vo4

E isso não significaria nada se ela não fosse tão lúcida, moderna, ativa e fizesse ginástica todos os dias.

Ela é tão inspiradora que no período em que morei com ela (acabei de me mudar e por isso a saudade e a homenagem) criei a página “Minha vó que disse” onde reuni diversas declarações da Dona Letícia.

Por que minha vó é tudo isso?

Ela é fitness: “Você come bastante, mas a noite não come hidrato de carbono” (me explicando porque sou magra) Logo no primeiro depoimento aprendemos que antigamente carboidrato se falava ao contrário.                             

Qual sua fruta preferida, vó? “Manga!” Não é banana? “Não gosto de banana, pra falar a verdade” Mas você como todo dia, Dona Letícia. “Como por obrigação, porque é nutritiva”.

Aprenderam crianças? A vida não é só feita de prazer.

Ela faz isso todo dia sem ter a missão biquininho na praia.

Ela é a favor do beijo gay: Apontando ao jornal “Lê isso aqui. Tem um pastor criticando a novela por causa do beijo. Já pensou? Qual o problema? São duas velhas, moram juntas, são amigas (fazendo gesto de abraço e carinho)” 

Silas, escute a voz da experiência.

Ela manja de futebol: “O Brasil não vai ganhar essa Copa. Ontem o Neymar não jogou nada, o de belo horizonte que salvou com o gol. O Brasil já é penta, deixa os outros ganharem. O Brasil acha que só ele joga futebol. Os outros também jogam.” 7 de junho de 2014                                            

Vovó futeboleira “Por onde anda aquele jogador, tá sumido, deve ter aposentado… aquele do barcelona? Neto “Não sei, vó, não entendo muito de futebol…” Vovó “Ah, lembrei! O messi… Ele saiu do barcelona?” Maio de 2014

vo2                                                                                     Até santinha ela põe para assistir o jogo!

Ela gosta de moda: Vendo uma matéria de revista sobre pássaros: “Depois dizem que Deus não gosta de moda, olha esse passarinho todo colorido!”

Ela é pacifista: “Que bom que Cuba fez as pazes com os Estados Unidos. Foi bom.”

Ela não tem medo da morte: Padre a homenagendo quando fez 100 anos: “A senhora já completou 100 anos, quantos mais vai viver?”
                                                               Ela: “Posso morrer hoje (e sorriu)”

Ela só tem um medo: “Quando eu morrer quero ser cremada e que o Caio (neto) que sempre vai pra Santos jogue minhas cinzas no mar. Se não, a empregada acha que é tempero e me joga na comida!”

Se amou minha vó, vê a página do face que tem mais.

Mas antes, e o melhor de tudo, vamos ver ela dançando, recitando poesia, falando sobre morte e família num vídeo em que reuni diversos momentos dela para seu aniversário de 100 anos.

Quer viver tanto quanto ela? Ela dá a dica: “Sabe o que tem que fazer pra viver muito? Agradecer a Deus o dom da vida, comer pouco e falar tudo que pensa, mas sem ofender ninguém” 

Compartilhei hoje o meu bem mais precioso, espero que ela tenha inspirado sua segunda como inspira todos os meus dias 🙂

Onde ir: Passeio pelo Centro de São Paulo

A dica de hoje é o passeio que fiz terça pelo centro de São Paulo que contemplou uma galeria de fotos, um tradicional café da cidade e uma doceria portuguesa.

É sempre melhor optar por metrô para chegar lá e caminhar pelas ruas observando a arquitetura, os personagens e também as bugigangas para comprar entre uma “atração” e outra.

11717508_946106592078207_6035689983942553424_o

Para chegar a exposição “GRITOS em São Paulo” do fotógrado Ian Maenfeld, você passa pelo Theatro Municipal e isso já vale qualquer viagem. Ela fica numa travessa em frente a ele, no primeiro andar de um prédio que nem seria notado se não fosse sua pequena porta. Não imaginaria que lá existe essa galeria.

As fotos que vi são fortes, tocantes e representam muito bem o período político em que vivemos onde as ruas cada dia mais são tomadas por marchas e manifestações. Foram retratados o Movimento Passe Livre, junho de 2013, marcha das vadias, greve dos professores, ato contra a redução da maioridade penal, entre outros.

Estou bem interessada em adquirir uma ampliação.

Se você quiser conhecer, voa! É só até esse sábado, dia 29.

Abaixo o release quem encontrei:

“GRITOS em São Paulo” se desdobra a partir da onda de protestos que ocorreu em junho de 2013 e resulta na série de fotos documentais de acontecimentos que fizeram parte do cenário de manifestações da capital, até os dias de hoje. A exposição traz a efervescência do período e mostra a participação dessa gente protagonista, que fez e faz parte da grande cena que é São Paulo.

A possibilidade de recriar o olhar no espaço urbano é explorada como base na montagem fotográfica. Diante do panorama de expressões sociais presente na atualidade é que se estende o registro, no enfoque desses agentes de ações específicas e suas causas, em diálogo com o local físico ocupado por eles.

Fotos: Ian Maenfeld

Galeria: Consigo Cine Foto

1 a 29 de agosto – Entrada gratuita
Seg. a sexta das 9h às 18h
Aos sábados até 13h

cafegirondino

Saia de lá e parta para o Café Girondino. Um dos meus lugares preferidos da vida. Uma caminhada gostosa atravessando o Viaduto do Chá e ruelas.
Minha sugestão de sempre: bolo de banana e chá. Isso porque não tomo café, mas dizem que é muito bom. Os salgados que comi dessa vez foram coxinha e croquete de carne. São sensacionais! Não me condene, dividi os dois.

Café Girondino: Rua Boa Vista, 365 – Centro – São Paulo, SP

pasteldenata

De lá, seguindo pela rua São Bento na primeira esquina está a tradicional doceria portuguesa Casa Mathilde. No mínimo, peça o pastel de nata, mas existem tantas opções de doces para provar que duvido que não saia empanturrado(a).

Casa Mathilde: Praça Antonio Prado, 76

Se tiver mais tempo, vá ver uma exposição ou peça no CCBB (fechado de terça-feira).

Espero que tenha gostado, se sim, me conta aqui nos comentários!

(Todas as imagens utilizadas no post são imagens de divulgação)